Confiaria numa simples App como contracetivo?

pilula-do-dia-seguinte2Para determinadas mulheres, a utilização de pílulas anticoncecionais ou pílulas do dia seguinte não têm qualquer tipo de impacto no seu metabolismo e por vezes são até ligadas a consequências positivas, tais como a melhoria do aspeto da pele. Mas para a generalidade das mulheres, a utilização destes fármacos transfigura o funcionamento hormonal, reduz a libido, gera alterações de humor e tem efeitos colaterais indesejados.

Uma nova aplicação de mHealth, criada por um casal de origem suíça, que investigava uma nova forma de anticoncepção para seu próprio consumo e que fosse o mais natural possível. A app, usa a temperatura corporal da mulher para antecipar os dias em que esta vai estar mais fértil. Nesses dias, a aplicação recomenda que o casal utilize preservativo de forma a minorar os riscos de uma possível gravidez indesejada.

Uma investigação efetuada apurou que 63% das mulheres conhecem parcamente as suas pílulas anticoncecionais e grande parte do que sabem não está correto. Destas 63&%, cerca de 40% afirmam não se encontrarem satisfeitas com os métodos anticoncecionais existentes. Na mesma pesquisa, percebeu-se que ao substituir a pílula pela aplicação, 75% das mulheres ficaram mais satisfeitas.

Já forma contabilizados cerca de 300 mil dias através da aplicação e de acordo com a empresa, até agora ainda não há conhecimento de nenhuma gravidez indesejada.

A co-fundadora, Dra. Elina Berglund que exercia funções no CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear) descobriu um computador com funções semelhantes e a partir daí, tomou a decisão de criar o seu próprio algoritmo e desenvolver a aplicação. Ao fim de seis meses, o seu marido, Dr. Raoul Scherwitzl, persuadiu-a a disponibilizar a app de forma a outras mulheres a utilizarem. Esta decisão fez com que o casal deixasse os seus empregos para gerirem  a sua própria empresa.

O casal tem hoje uma filha, mas durante 2 anos, usou a sua aplicação para acautelar a gravidez. Quando resolveram ter um filho, passaram a usar a mHealth como anticoncecional.

De acordo com o Dr. Scherwitzl, o objetivo da mHealth, é o de ajudar a mulher a controlar a sua própria fertilidade com 99,9% de precisão. Para este médico/empreendedor, o futuro e o suporte do controlo de natalidade está no conhecimento que cada mulher tem do seu corpo e não na melhor forma de alterar o seu comportamento com fármacos hormonais.

O modelo de negócio desta aplicação é baseado numa assinatura anual de 50 euros para a sua utilização, juntamente com um termómetro (que vem incluído).

Ainda existem estudos que estão a ser realizados e, por enquanto, bastantes peritos ainda falam do tema com algumas reservas, afirmando que a efetivação do método desta empresa em prevenir a gravidez é ainda desconhecido.

 

Mais de metade das pesquisas efetuadas no Google são mobile

googlelogox2-animatedMais de metade das pesquisas efetuadas no Google a nível mundial são realizadas a partir de dispositivos móveis. Estes dados foram providenciados através de um estudo feito pela empresa apresentada por Luis Collado, diretor em Espanha dos serviços News e Play.

Num debate sobre as propensões dos negócios na internet, Collado fez questão de destacar que esta alteração da forma como se utiliza a internet obrigou o Google a fazer alterações no seu algoritmo de pesquisas, que assim, desde abril de 2015 dá prioridade nos resultados, a websites que tenham versões adaptadas para smartphones e tablets. Esta alteração ao algoritmo foi recebida com muito interesse por parte de vários representantes de empresas de serviços SEO Portugal.

A mesma tendência é notada pelo portal líder no mercado do turismo e viagens, TripAdvisor. Blanca Zayas, diretora de Comunicação no Brasil e Espanha, destacou que metade de todos os comentários deixados pelos utilizadores são efetuados desde um dispositivo móvel.

Luis Collado salientou que, apesar da factualidade destes dados, as empresas que vendem serviços ou produtos através da internet demoram a reagir a esta preponderância do móvel, e aconselhou-as a oferecerem conteúdos específicos e a desenvolverem experiências de relação com os clientes direcionadas para dispositivos móveis.

O diretor do Google lembrou que 80% dos utilizadores de smartphones que acedem a um website que não esteja adaptado para dispositivos móveis abandonam imediatamente a página, e que ao mesmo tempo, também não podemos confiar no número de download de aplicações, já que 90% delas são apagadas um mês depois de terem sido descarregadas.

Os dispositivos mais utilizados são os jogos e as redes sociais e, mesmo assim, de toda a variedade disponível, 75% dos utilizadores usufruem apenas de quatro ou cinco.

Por seu lado, Blanca Zayas realçou as grandes mudanças das aplicações na organização de viagens e o papel que as plataformas de opinião cumprem, já que contribuem para aproveitar ao máximo os recursos no negócio do turismo.

De acordo com Zayas, o TripAdvisor disponibiliza informação de 4,9 milhões de agências turísticas e todos os meses são efetuadas pesquisas por 340 milhões de pessoas que preferem planear as suas viagens através do seu website. Apesar de se tratar de uma empresa americana, grande parte dos utilizadores está na Europa.

Destacou também o aumento das opiniões recebidas, de 50 milhões em 2010 para 225 milhões em 2014, o que mostra que as pessoas querem partilhar as experiências positivas que têm quando viajam. O TripAdvisor recebe 139 comentários de viajantes por minuto.

Blanca Zaya admitiu ainda que muitas empresas receiam receber comentários negativos na internet, quando na verdade a grande maioria das opiniões acaba por ser sempre positiva.

Para além disso, relembrou que o TripAdvisor conta com uma equipa de 300 pessoas que têm como único objetivo identificar opiniões falsas (tanto as negativas como as positivas).